terça-feira, 23 de outubro de 2012


  Nada melhor do que uns dias a viver na altura em que a maioria das pessoas dormem, viver na "solidão" e, naturalmente, pensar em tudo que me rodeia. Nada melhor do que isso para aprender a viver comigo mesmo e pensar no que realmente quero na minha vida. E não me refiro a planos para o futuro, mas sim à forma como me quero relacionar com os outros, como quero viver a minha vida. A verdade é que num mês de vida noctívaga já resolvi alguns pequenos problemas que me incomodavam há muito.
  E isto tudo porquê? Porque em todo o tempo "livre" que tenho tido pensei naquilo que sou e naquilo que me afectava negativamente. E o ponto que mais me afecta nos últimos tempos é a relação que mantenho com algumas pessoas que considero importantes. E assim sendo, tinha de resolver isso.
  Sempre fui uma pessoa calma, compreensiva e com gosto em "cuidar" das pessoas que me rodeiam. Nunca gostei de ter conflitos com ninguém, e mesmo quando as pessoas me "fazem mal" eu não sou de guardar rancores. Afinal a vida continua e eu não ganho nada em ficar chateado com ninguém. As pessoas erram, ninguém perfeito. Desde que as pessoas valham a pena e tenham consciência de quando agem mal, por mim podem errar as vezes que quiserem. Uma conversa sincera e transparente e um abraço sincero sempre foram o melhor antídoto para resolver problemas na minha vida. E se sou e sempre fui assim não há motivos para andar em "confusões" com certas pessoas. E mesmo numa altura em que os meus tempos livres são escassos, eu resolvi dedicar-me a falar com essas pessoas sobre tudo que se passa ou passou (consoante os casos) e demonstrar-lhes que, independentemente de TUDO, não estou chateado nem há motivos para existir um mal-estar. Porque quando há bom senso e se conversa há duas formas de ficarem as coisas: ou fica tudo bem ou fica tudo mal. E tanto uma como outra acabam com o problema de vez. Felizmente, tem ficado tudo bem e isso deixa-me feliz e de consciência tranquila.
  Tenho noção que estou e sou muito melhor assim, mas não deixo de pensar que ainda há mais algumas pessoas com quem gostava de ter uma boa conversa e esclarecer algumas coisas. Sem problemas, sem acusações, apenas para resolver problemas que não considero existirem.

  Acho que encontrei a minha paz, acho que voltei a ser quem sou.

1 comentário:

Kate disse...

Fico muito feliz por ter lido o que li e por ti Paulo :)